sábado, 3 de dezembro de 2016

CHEQUINHO ?

As últimas eleições ocorridas em Campos, para os cargos de prefeito e vereadores, já é são marcos históricos, não só, infelizmente, pela esmagadora vitória, no primeiro turno, do prefeito eleito Rafael Diniz por mais de 151 mil votos. Os desdobramentos das referidas eleições, em função das demonstrações do líder derrotado, que alcançaram as manchetes nacionais (http://vejasp.abril.com.br/blogs/pop/2016/11/18/garotinho-transferencia-ambulancia-memes/), (http://www1.folha.uol.com.br/poder/2016/11/1834380-garotinho-recebe-alta-e-vai-para-prisao-domiciliar.shtml), (http://www.gazetadopovo.com.br/vida-publica/chilique-de-garotinho-na-ambulancia-ganha-versoes-ainda-mais-engracadas-na-internet-d6gu3gir760uvoq0vturotxp2), (http://www1.folha.uol.com.br/poder/2016/11/1833725-garotinho-ofereceu-suborno-para-tentar-evitar-prisao-diz-procuradoria.shtml), são uma demonstração clara dos males que podem ocorrer a quem não sabe reconhecer o valor de uma derrota. Saber perder, também, é, pelo visto, para os poucos que mantém a sabedoria e espírito público suficientes para aprender, inclusive, nestas situações, onde se reveem planos, estratégias e, sobretudo, métodos.

Denominada pela Polícia Federal de Operação Chequinho, além dos flagrantes já investigados, supostamente, há farto material complementar apreendido que não permite margem de impunidade aos acusados, caso não houvesse, não haveria motivo para tamanha reação do líder derrotado, especialmente. Talvez, isso explique a ausência da maioria dos acusados (abaixo), nos depoimentos, seria pela incerteza da absolvição ? 






O fato é que Campos, assim como no caso da Lava-Jato, precisa urgentemente ser passado a limpo, para, enfim, ter condições de se desenvolver por administrações comprometidas com a cidade, seus habitantes e frequentadores, estes serão grandes desafios para o próximo prefeito e sua equipe, especialmente em função do arroxado orçamento e diante das significativas despesas, dentre elas a da folha de pessoal, que chega próximo aos R$ 1 bi ! Fora isso, há os compromissos com a saúde, educação, mobilidade, habitação, agricultura, cultura, assistência social, responsabilidade fiscal e desenvolvimento.

Nesta semana próxima, acrescenta-se ainda a delação da Odebrecht, que tem as suas relações com políticos de Campos, citados em documentos apreendidos e já revelados nacionalmente. Campos, não merece ser humilhada nacionalmente como foi, por isso, será necessário todo o apoio ao novo governo, especialmente pelas concretas possibilidades de adoção de medidas impopulares para que se arrume a enorme bagunça generalizada de obras paralisadas, hospitais em estado deplorável, setores como o das ambulâncias sem pagamento, buracos em todas as ruas, dívidas como as da VENDA DO FUTURO, além de outras que poderão surgir quando, nas palavras do prefeito eleito: "abrir a caixa preta".

Ficam, para efeito de registro, as imagens das demonstrações que não interessam certamente a Campos, como forma de repúdio a quem as protagonizou, que deveria sair de fininho e buscar uma urgente e necessária reciclagem.







Fora isso, o apartamento no Flamengo pertence a quem afinal de contas? Teria sido comprado com um chequinho?






O MAIOR EMPREENDIMENTO DA ODEBRECHT, PODERÁ SER LANÇADO NA PRÓXIMA SEMANA.

A aguardada delação da maior construtora da América Latina, a Odebrecht, para a próxima semana, poderá ser o maior empreendimento já feito pela construtora no país, visto a listagem de nomes que envolve, especialmente a partir dos documentos apreendidos na 23ª fase da Lava-Jato (http://observatoriocampos.blogspot.com.br/2016/06/mudar-renovar-e-o-medo-do-frio-que.html) , (http://observatoriocampos.blogspot.com.br/2016/03/quanto-mais-mexe-mais.html) e (http://exame.abril.com.br/brasil/em-lista-odebrecht-relata-pagamentos-para-200-politicos/). Também, está em divulgação na internet, a listagem que reproduzimos abaixo, com os nomes dos políticos, partidos políticos, estado federativo e cargos dos supostamente envolvidos:






Ao que tudo indica, destacando o conteúdo dos documentos e da carta de compromisso para o futuro da Odebrecht, abaixo, (Por quê não do presente também ?), fica a aparente demonstração de ampla intenção de colaboração. Desta forma, o codinome atribuído pela mídia, a esta fase da Lava-Jato, "Delação do fim do mundo"(http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/266880/Dela%C3%A7%C3%A3o-do-fim-do-mundo-Odebrecht-assina-acordo.htm), não parece ser nenhum exagero, aguardemos.





SIM ÀS 10 MEDIDAS CONTRA A CORRUPÇÃO !

Nesta semana, o país comovido pelo acidente com a equipe da Chapecoense, foi atingido em cheio por um duro golpe da Câmara Federal, na madrugada de 30/11/2016, que corrompeu o encaminhamento feito pelo Ministério Público Federal, na forma das 10 medidas contra a corrupção. Esperava-se, com o apoio das mais de 2 milhões de assinaturas de apoio, que as medidas tivessem a sua aprovação integral.

Mesmo acima da meta inicial, que era de 1,5 milhões de assinaturas de apoio, os deputados não se sensibilizaram diante do apelo nacional, da nova realidade política, que pelo visto, ainda não perceberam. Dizem, que o ser humano não enxerga o óbvio quando está tomado por algum tipo de temor, explicam alguns estudiosos que é instintivo do ser humano, onde por reações internas o organismo busca ordenar o cérebro a tomar atitudes de sobrevivência, fuga, ficando a razão prejudicada neste momento. Será?

O fato, é que este Observatório repudia o ato dos deputados, e, em apoio integral ao manifesto do Observatório Social do Brasil, reproduz integralmente o mesmo, abaixo:



Por conseguinte, ratificamos o apoio às 10 medidas e colocamos diante da população, mais uma vez, na íntegra, para que seja reproduzido, compartilhado e exigido a sua integral aprovação, que seguirá ao Senado, sendo importantíssima a manifestação de toda a sociedade brasileira, segue:






video


Apoie e divulgue, chega de corrupção, impunidade, roubalheira e enriquecimento ilícito neste país:






sexta-feira, 4 de novembro de 2016

DESSERVIÇO À MEMÓRIA CULTURAL DE CAMPOS DOS GOYTACAZES - RJ

Acrescente-se a lista composta pelo Mercado Municipal, Museu Olavo Cardoso, Lira Apollo, Obelisco da Av. XV de Novembro, Canal Campos-Macaé, dentre outros, a estátua do Dr. Nilo Peçanha, como patrimônios históricos da cidade, sem o devido tratamento e até tratados com desleixo e desrespeito, comprometendo a memória cultural de uma das principais cidades do país.

No caso da estátua do Dr. Nilo Peçanha, o sumiço noticiado a partir de 23 de agosto deste ano, causou espanto e estranheza por todo lado, especialmente quando ao se tentar obter respostas das autoridades, estas com muita indiferença diziam que não sabiam de nada, nem quem autorizou, nem qual o propósito e qual o paradeiro, ficando o caso no mais absoluto mistério, com supostas alegações de que o Presidente da Academia Campista de Letras tinha o desejo particular de instalá-la próximo a referida academia, onde teria sido construído pedestal para este propósito, alegações estas posteriormente supostas.

A partir daí, uma forte pressão popular fez com que o Grupo de Trabalho criado a partir de ato administrativo da prefeita, convocasse reunião aberta, no COPPAM, para tratar do assunto. Ocorrida calorosa reunião em 14/09/2016, não foi possível esclarecer as dúvidas de quem teria autorizado, por qual razão e também o paradeiro e os custos da remoção da estátua. Porém, ficou decidido o retorno da estátua, com as observações quanto ao seu posicionamento sugeridas por este Observatório, juntamente com o Instituto Histórico de Geográfico de Campos (IHGCG), qual seja: que a estátua do Dr. Nilo Peçanha, ficasse de frente para quem chega a cidade.

Contudo, a longa espera, até 20/10/16, nos fez promover representação no Ministério Público Estadual, para reclamar o retorno e as explicações acerca da estátua do Dr. Nilo Peçanha, patrimônio histórico de Campos, presente do estado do Rio de Janeiro à Campos, instalado em 26 de outubro de 1967 na Avenida Dr. Nilo Peçanha. Havendo o inquérito correspondente, de número 192/2016, sido instaurado em 01/11/2016, por coincidência, a estátua foi reinstalada, conforme o posicionamento sugerido por nós do Observatório e do IHGCG, na mesma data, porém, sem quaisquer vestígios de que sofrera procedimento de "higienização e limpeza", ditos pelo poder público, reafirmados na reunião de 14/09/2016, pelos presidentes do COPPAM e da Academia Campista de Letras, Orávio Soares e Hélio Coelho, respectivamente.

Desta forma, nós do Observatório Social de Campos, manteremos a nossa indignação e questionamentos, através do Inquérito 192/2016, pois, dentre outros detalhes, desejamos ver apurados:

1- Quem autorizou a retirada do patrimônio histórico?;

2- Qual foi o paradeiro da estátua?;

3- Quais as justificativas para a retirada da estátua?;

4- Quanto custou a desinstalação e a reinstalação da estátua?;

5- Qual o propósito para a construção do pedestal na Praça Nilo Peçanha, próximo a Academia Campista de Letras?;

6- Quanto custou a construção do pedestal, referido no item 5?


Ainda, olhando com alguma atenção, podemos perceber que nada foi feito de limpeza na estátua, haja visto o seu estado, conforme atestado pelas fotos abaixo:













segunda-feira, 3 de outubro de 2016

A VELHA POLÍTICA ENCERRADA: A POPULAÇÃO DE CAMPOS DOS GOYTACAZES, CLAMA POR NOVOS TEMPOS.

A população de Campos, demonstrou, sem qualquer resquício de dúvida, que não tolera mais a política conduzida por métodos questionáveis e impróprios, que intimida, mente e engana, enfim, causa prejuízos de toda a espécie. Sentindo na própria pele os efeitos do mal uso dos recursos públicos, com o comprometimento de serviços essenciais, e colapso em setores estratégicos, como saúde, educação, mobilidade urbana, agricultura e indústria, principalmente, o campista se cansou de assistir ao filme colorido imaginário, quando na realidade viu este se tornar um grande pesadelo em duas cores: preto e branco.

A esperança e o recado passado nas urnas, de forma enfática, que definiu o processo eleitoral do cargo majoritário no primeiro turno, confere ao candidato eleito Rafael Diniz, toda a legitimidade para realizar as promessas de campanha, que pelo visto devolveu ao campista o orgulho por sua cidade, onde fica nítido que não há mais lugar para as práticas que se esgotaram nestas eleições.

O resultado destas eleições, já é histórico e, sem dúvidas o mais importante dos últimos 30 anos, por isso, ações estratégicas precisam ser implementadas para que o futuro governo confirme todas as expectativas. Já há caminhos a perseguir para que a próxima gestão seja um marco, divisor entre o atraso e o progresso, tais como: regulamentar a lei de acesso a informação, desenvolver e implementar o Plano de Mobilidade Urbana, aproximar-se das universidades, reavaliar os assentamentos urbanos de interesse social, incorporar o aeroporto Bartolomeu Lisandro ao complexo portuário (Açu e Barra do Furado), desenvolver os setores produtivos locais, especialmente a pesca e a agricultura, criar atrativos para novas indústrias, promover o turismo ecológico-cultural, especialmente em reconhecimento do riquíssimo patrimônio ambiental e histórico, enfim, dotar a administração pública de uma visão progressista que amplie as vocações de Campos, sem comprometer o cuidado e a atenção para a sua população, em especial os menos favorecidos, dando-lhes reais oportunidades para o seu desenvolvimento social, mantendo criteriosamente os programas sociais como forma de sustento temporário, afim de que se promova dignamente a inclusão e plena cidadania.

Estas são algumas das projeções que fazemos, desejando desde já, sucesso ao futuro prefeito, Rafael Diniz, que assumirá a prefeitura com sérios comprometimentos, inclusive de ordem econômica, contudo, a história está repleta de casos de superação diante de adversidades, o que certamente ocorrerá também em Campos. 

O principal ingrediente para esta virada já está consolidado pela vontade e crédito dado pela participação inequívoca do povo, por uma outorga de mandato expressiva:
http://placar.eleicoes.bol.uol.com.br/2016/1turno/rj/campos-dos-goytacazes/

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

NILO PEÇANHA RETORNARÁ.

Hoje, em reunião no COPPAM, foi tratado a remoção da estátua do Dr. Nilo Peçanha, da avenida de mesmo nome. Estiveram presentes, os representantes do: Grupo de Trabalho (GT) responsável pelas comemorações do centenário das Obras de Melhoramentos de Campos - criado a partir pelo Decreto 157/2016 - , do COPPAM, da Academia Campista de Letras (ACL), do Instituto Histórico e Geográfico de Campos (IHGCG), deste Observatório, do Museu Histórico de Campos, da Associação de Imprensa Campista (AIC) e da comunidade de Campos. Inicialmente, foram feitas considerações pelos representantes do IHGCG, que apresentaram vários documentos históricos, dentre os quais matérias jornalísticas, leis, decretos, publicação em diário oficial e selo comemorativo de 1967. Ao fim da exposição o IHGCG, se posicionou contrário a remoção da estátua e, favorável ao seu retorno.











Seguindo o entendimento de impertinência e incorreção histórica, quanto a remoção da estátua, os demais componentes da mesa se posicionaram de acordo com as manifestações do IHGCG. O único posicionamento contrário a reinstalação da estátua do Dr. Nilo Peçanha, em seu local histórico, foi o presidente da ACL, Hélio Coelho, que defendeu o seu posicionamento favorável a remoção da estátua, da Avenida Nilo Peçanha, para ser instalada na Praça Nilo Peçanha (Jardim São Benedito). Os presidentes do COPPAM e da ACL, disseram nada saberem a respeito das razões para a remoção da estátua, especialmente quando indagados a respeito, por este Observatório. Contudo, ficou evidente que o presidente da ACL, ao menos, tinha conhecimento das razões, pela ênfase de sua defesa relativo a remoção e nova instalação da estátua do Dr. Nilo Peçanha, na Praça Nilo Peçanha.

Na defesa de motivos para a manutenção da estátua do Dr. Nilo Peçanha, em seu local histórico, desde 1967, este Observatório, apresentou ainda, as razões para a criação e as atribuições do GT criado pelo Decreto 157/2016, em destaque no topo do decreto (elaboração e acompanhamento da programação comemorativa do centenário):



Não havendo, no decreto, quaisquer atribuições para o GT, quanto a remoção da estátua. 
Também, este Observatório, apresentou o estudo preliminar de viabilidade técnica para qualificação urbanística (abaixo) do espaço de instalação da estátua do Dr. Nilo Peçanha, sendo o mesmo acolhido e elogiado pelos presentes, com o compromisso de ser apensado à ata da reunião e posteriormente encaminhado em forma de ofício à prefeita Rosinha Garotinho.



A proposta, é ampliar a base do espaço onde se encontra instalada a estátua, eliminando os degraus existentes, promovendo ampla acessibilidade, que inclui a instalação de moderadores de tráfego lindeiros. O trecho do retorno, a partir da Rua Barão de Miracema para a Avenida Dr. Nilo Peçanha, seria incorporado a área atual da estátua, criando um ambiente mais amplo, adequado e seguro para a contemplação do que propomos ser o Memorial Dr. Nilo Peçanha, com melhorias na instalação da estátua, bem como na iluminação ornamental, de modo a conferir o devido valor que o personagem e a paisagem históricos merecem, onde, ainda, a pavimentação e as sinalizações complementariam a requalificação urbanística do ambiente urbano.
Para a manobra do fluxo viário, a partir da Rua Barão de Miracema, sentido Avenida Dr. Nilo Peçanha, propomos a utilização da baia de retorno existente nas proximidades da Campos Neon.

Para concluir, ficou decidido por ampla maioria, o retorno da estátua do Dr. Nilo Peçanha ao seu local de origem, reposicionando-a de frente para quem trafega a partir da rotatória do Contorno, sentido Avenida José Alves de Azevedo. Quanto a evolução dos debates para as melhorias propostas preliminarmente, no estudo apresentado por este Observatório, embora de agrado geral, ficou definido que posteriormente se tratará do assunto, onde outras propostas poderão ser igualmente apresentadas e debatidas.

É importante ressaltar, que em 25 de outubro de 1967, a estátua do Dr. Nilo Peçanha, doada pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro, foi instalada e, na mesma data do ano de 2017, fará 50 anos, devendo ser a data limite para as implementações das melhorias urbanísticas para o trecho, que ora propomos.

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

NILO PEÇANHA, PATRIMÔNIO HISTÓRICO DE CAMPOS E DO BRASIL.

Recentemente houve a remoção, por parte da prefeitura, da estátua do Presidente Dr. Nilo Peçanha da Avenida Nilo Peçanha, sem quaisquer explicações, quanto aos propósitos e destino. Instalada em 25 de outubro de 1967, por ocasião das comemorações do centenário do estadista, que, em 1967, coincidiu com os 51 anos das obras de melhorias promovidas pelo Dr. Nilo Peçanha em Campos, em 05 de novembro de 1916. Esta estátua é um dos valiosos patrimônios históricos da cidade, compondo por longos 49 anos a paisagem relacionada e se identificada como marco urbanístico por seus moradores e por quem chega à cidade, identificando-os com a mesma, visto o local de sua instalação histórica ser no eixo de uma das principais vias de acesso à cidade de Campos dos Goytacazes, homônima ao grande estadista.

Como se não bastasse esta abrupta remoção, ressalta-se que este não é o primeiro caso ocorrido e desprestígio ao patrimônio histórico na cidade, havendo os precedentes em relação à:

1- Cena escultórica de José do Patrocínio e da Princesa Isabel (retirados do Palácio da Cultura);
2- Busto do Almirante Saldanha da Gama (encontrado recentemente, aleatoriamente, em dependências de uma escola estadual, com equívocos de identificação);
3- Estátua de Tiradentes (mexida e remexida na praça homônima, que carece de manutenção);
4- Pelourinho (atualmente instalado no Boulevard Francisco de Paula Carneiro, mas que perambulou até então);
5- Índio Goytacá (retirado da Estrada do Contorno e abandonado no Arquivo Público Municipal);
6- Mercado Municipal de Campos (em estado adiantado de depredação);
7- Museu Olavo Cardoso (em ruínas);
8- Lira Apollo (em estado avançado de depredação);
9- Lira Guarany;
10- Canal Campos-Macaé (instalados adereços desconformes historicamente).

Por estas razões, inclusive, encaminhamos ofícios, em conjunto com o Instituto Histórico e Geográfico de Campos, contestando o ato de remoção da estátua do Dr. Nilo Peçanha da avenida homônima e, solicitando providências para a sua reinstalação, com melhorias de elementos, inclusive o seu reposicionamento, de frente para quem chega à cidade, no principal eixo viário, que é a própria Avenida Nilo Peçanha. Desta forma, estamos defendendo melhores condições para que seja comemorado o centenário das obras de melhorias de Campos, entregues em 05 de novembro de 1916, pelo Dr. Nilo Peçanha, respeitando-se sobretudo os registros históricos desta terra e de seu povo, estendendo as ações de valorização, ao busto do Dr. Nilo Peçanha, instalado na Praça Nilo Peçanha (Jardim São Benedito). Seguem os ofícios encaminhados, inclusive ao gabinete da prefeita:











Dia 14 de setembro de 2016, haverá reunião no COPPAM (Rua Tenente Coronel Cardoso - após o campo do Goytacaz, às 10:00h), para debater o assunto, um ato sem qualquer cronologia, visto o ato da retirada da estátua já ter ocorrido. Entretanto, estaremos presente e, convocamos os interessados para que os registros históricos deste município não sejam alterados.